O ‘lapsus’ de Feijóo com o Dia das Letras Galegas


presidente da Xunta de Galicia confunde a data de comemoração da cultura e a língua galega com San Isidro

Ainda hoje ressoa nos ouvidos dos galegos a confusão sofrida nesta semana pelo presidente da Xunta. Em pleno debate encarnizado com a oposição, Alberto Núñez Feijóo mudou a data de celebração do Dia das Letras Galegas, no dia grande dessa comunidade autônoma, na que se comemora sua cultura e sua língua.

“Quando vejo as perguntas das Marés de Podemos me dá a sensação de que são anúncios do Corte inglês”, argumentava Feijóo. “Quando vem o 1 de maio, perguntam pelo desemprego, ainda sem saber os dados do inquérito da população ativa e o desemprego de abril; e agora que vem o 15 de maio, perguntam pela língua, porque o objetivo é poder falar da língua”.

Os grupos da oposição levantaram a voz de imediato, ante tal confusão de datas. No entanto, Feijóo continuou com seu speech, pensando que o rebuliço o ocasionavam suas palavras e não sua ‘lapsus’.  “Sem dúvida”, prosseguiu, “tienen vocês uma grande agência de publicidade”.

Provavelmente a confusão do presidente galego seja consequência de seus anos em Madri. Se na Galiza, o 15 de maio é uma data carente de significado, na capital supõe a celebração de San Isidro. O que confundiu realmente o presidente da Xunta são dois feriados que nada têm que ver.

Se para os nascidos em Madri, o 15 de maio simboliza a celebração das festas dedicadas ao padrão da cidade, San Isidro Labrador, para os nascidos na terra de Breogán, no dia 17 leva impresso parte da história e a alma dos galegos. Foi o 17 de maio de 1863 quando se publicou na cidade de Vigo a primeira instância da obra ‘Cantar galegos‘, de Rosalía de Castro, o que marcou o início do chamado “Rexurdimento” (Resurgimiento). Enterraram-se então séculos de ostracismo (Séculos Escuros), onde se impôs o castelhano e a língua galego ficou absolutamente marginada.

A confusão de Feijóo, não foi passada por alto nas redes sociais, que se encheram de críticas ao presidente da Xunta. Muitos, além disso, lembraram-lhe outro erro cometido há três anos com motivo da mesma celebração. Durante uma entrevista em uma televisão, el político mudou o título da citada obra de Rosalía de Castro ‘Cantar Galegos’ pelo de Poemas Galegos.

Categorías
CulturaPolítica

RELACIONADAS